01/06/2020

BOLETIM OFICIAL CORONAVÍRUS (01/06/2020)

213 casos notificados
186 descartados
04 suspeitos
23 confirmados
116 isolamento domiciliar
Em relação aos casos positivos:
13 Recuperados
04 Internados
05 Isolamento domiciliar
01 Óbito
O Boletim desta segunda (01 de junho) traz duas informações importantes. A primeira é que 3 pessoas se recuperaram do quadro de covid-19, atualmente 13 casos de coronavírus já foram recuperados!
 A outra informação é que foram confirmados mais 2 casos positivos no nosso Município. Trata-se de 2 mulheres, 23 e 30 anos, uma é auxiliar administrativo e a outra não informou a profissão. Ambas estão em isolamento domiciliar e não apresentaram sintomas respiratórios. 
Para garantir a máxima prevenção é preciso adquirir hábitos de higiene simples como:
ao tossir e espirrar, utilize lenços de papel para evitar que as secreções sejam eliminadas no ar, além disso,
evite apertos de mãos e cumprimentos no rosto. Evite tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.
Apresentamos também em anexo, gráficos que mostram dados sobre o coronavírus no Município de Sarandi. Esses números trazem transparência ao que vem acontecendo na cidade de Sarandi em relação a COVID-19.
Essas são informações oficiais da Prefeitura de Sarandi, acompanhe os próximos boletins nas nossas redes sociais!

A CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA INFLUENZA CONTINUA

O Ministério da Saúde decidiu prorrogar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza até o dia 30 de junho. O intuito da prorrogação é continuar a vacinação para os grupos prioritários! Confira a lista das pessoas prioritárias: pessoas de 60 anos e mais de idade, trabalhadores da saúde, profissionais das forças de segurança e salvamento, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, motorista e cobrador de transporte coletivo, portuários, povos indígenas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, pessoas com deficiência, gestantes, puérperas até 45 dias, adultos de 55 a 59 anos de idade e professores das escolas públicas e privadas.

Veja os lugares no qual será aplicado a vacinação:
- Clínica Materno Infantil: 07:30h às 13:00h
- UBS Monte Rey: 07:30h às 13:00h
- Salão Comunitário ao lado da UBS Alvamar: 07:30h às 13:00h
- UBS Aurora: 07:30h às 13:00h
- UBS Ouro Verde: 08:00h às 13:00h
- UBS Oriental: 09:00h às 13:00h
- UBS Nova Aliança: 09:00h às 13:00h
- UBS Vale Azul: Terças e Quintas 09:00h às 13:00h

Brasil registra 623 mortes por Covid-19 em 24 horas

O Brasil registrou 623 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas. Agora, subiu para 29.937 o número de vítimas fatais da doença no país.

O Ministério da Saúde também atualizou para 526.447 o total de casos confirmados da Covid-19 no Brasil. De ontem para hoje, foram 12.247 diagnósticos positivos. Geralmente, os números de mortes e novos casos divulgados às segundas-feiras têm sido menores em razão do “efeito fim de semana”, quando há menos registros.(31), foram registrados 480 mortes e 16.409 novos contaminados.

Operação bem sucedida: Itaipu eleva em três metros nível do rio Paraná

Medida ajudou Paraguai e Argentina. Meta foi atingida com vertimento e deplecionamento do reservatório abaixo do esperado

A usina hidrelétrica de Itaipu concluiu, na última sexta-feira (29), uma operação especial de defluência para aumentar o nível do Rio Paraná, a jusante da barragem. A operação, que teve o envolvimento de Eletrobras e ONS, no Brasil, e Ande, no Paraguai, elevou em quase três metros o nível do rio, permitindo a movimentação total de 170 barcaças paraguaias carregadas de soja, que estavam retidas devido à estiagem do Rio Paraná, e agora seguem para os portos argentinos e uruguaios.

Para atender à meta diária de defluência média de 8.500 m³/s de água, no período entre 18 e 29 de maio, além de aumentar a produção, foi necessário abrir o vertedouro da Itaipu em nove ocasiões. O vertimento, no entanto, ficou 19% abaixo do que havia sido previsto, economizando a matéria-prima da usina. Para se ter uma ideia, esta quantidade de água que não foi vertida ficará armazenada no reservatório e, quando for utilizada, poderá gerar energia suficiente para abastecer uma cidade do porte de Curitiba por três dias.

O vertimento menor teve dois motivos. Um deles foi o aumento da produção de energia, que subiu do patamar de 170 mil MWh diários na semana anterior à operação especial para 210 mil MWh no período da operação. No acumulado desses 12 dias, Itaipu produziu 2.484.407 MWh, sendo 82% destinado ao Brasil e 18% ao Paraguai. O outro motivo para menor vertimento foram as chuvas, especialmente entre os dias 22 e 24 de maio, na bacia do Rio Iguaçu, que contribuíram para elevar o nível do Rio Paraná e diminuir a necessidade de defluência por parte da usina.

Esse choque vai arrebentartodos nós”, diz Paulo Martins

manifestações do último domingo (31/05), pró e contra o presidente Jair Bolsonaro, o STF e o inquérito das fake news inflamaram ainda mais os ânimos dos apoiadores e dos opositores do governo.Os confrontos que aconteceram nas ruas de algumas cidades, se repetiram nas
redes sociais. Em meio à guerra das ruas e da internet, o deputado federal Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), faz uma análise bastante
equilibrada: “O Brasil está como um navio em alto mar em que a tripulação decidiu incendiá-lo por não gostar do capitão. O fundo do mar
abrigará a todos”.

Nos últimos dias, o parlamentar, que é presidente do PSC do Paraná, já vinha usando suas redes sociais e espaços em entrevistas para alertar que essa não é a hora de radicalizar as coisas. “O que chama a atenção é que estamos no meio de uma pandemia e parece que tem gente que só quer inflamar e luta pelo pior. Diante do cenário atual, me parece que o discurso nunca foi sobre saúde e cuidado com a vida das pessoas, sempre foi uma quest

Phelipe Mansur morre em hospital após acidente na BR-277

Um grave acidente entre seis veículos deixou três mortos na tarde desta segunda-feira (1) na BR-277, em Teixeira Soares, nos Campos Gerais do Paraná. A colisão, que ainda deixou outras duas pessoas gravemente feridas, aconteceu no km-299. Uma das vítimas fatais é Phelipe Mansur, superintendente de Governança de Ratinho Junior e suplente de deputado estadual pelo PSDB do Paraná.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as três vítimas fatais eram homens e estavam em um veículo Nissan Sentra, com placas de Curitiba. Duas morreram no local e uma em um hospital em Irati. “Chovia muito na hora do acidente e um veículo, na pista sentido Curitiba, rodou e atingiu os que vinham no sentido contrário”, disse a agente Silvane, da PRF. As informações são da Banda B.

O acidente envolveu, além do Setran, outros cinco veículos: um Ônix, de Teixeira Soares (PR), um caminhão VW 24.250, de Barueri (SP), um Peugeot 207, de Curitiba (PR), um Voyage, de Cascavel, (PR) e uma Montana, de Irati (PR).

o condenado Lula ao contrário

No Twitter, o condenado Lula criticou o editorial de O Globo que afirma que, se quiser, Bolsonaro “ainda tem tempo para recuar e reconquistar a confiança (dos investidores) , dentro e fora do país”.

O condenado escreveu. “Volto a dizer: não dá pra aceitar a ideia de que o Bolsonaro é resultado de um processo amplamente democrático. Ele é resultado de um processo que se deu desde a cassação de uma presidenta sem crime. Agora perceberam que o troglodita que eles elegeram não deu certo.” “Estou dizendo pra gente não pegar o primeiro ônibus que tá passando. Estão querendo reeducar o Bolsonaro, mas não querem reeducar o Guedes. Tem pouca coisa de interesse da classe trabalhadora nesses manifestos. O editorial do Globo é uma proposta de acordo pra manter o Bolsonaro.”

E ainda:

“E o PT sabe porque quer tirar o Bolsonaro. A gente quer tirar o Bolsonaro pra defender a vida. Porque ele não gosta de mulher, não gosta de preto, não gosta de índio, não gosta do povo trabalhador. É por isso que estamos dizendo Fora Bolsonaro.”

Leia o condenado Lula ao contrário: o PT quer mesmo é manter Bolsonaro sangrando na presidência da República. Tudo teatro.

Centrão não vai comprar briga de Bolsonaro com STF

Andréia Sadi, G1

Com a entrega de cargos-chave, líderes dos principais partidos do Centrão garantem blindagem política ao presidente Jair Bolsonaro se o Planalto precisar de apoio para sobreviver politicamente no Congresso a um eventual processo que tenha como base acusações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, como a de interferência política na Polícia Federal.

Porém, o bloco, o maior da Câmara, não endossará a briga de Bolsonaro contra o Supremo Tribunal Federal (STF), pelo contrário: apesar dos cargos, líderes afirmam ao blog que ficarão com a defesa da Corte. Esse é o limite do Centrão, avalia o presidente de uma legenda ouvido pelo blog.

“Nosso compromisso é com Bolsonaro, mas ninguém vai embarcar na aventura de endossar ameaças ao STF. Jamais vamos enfrentar o STF. Aí você está falando de democracia, de instituições. Entre Bolsonaro e STF, ficamos com o STF”.

No entanto, admitem líderes dos principais partidos, que o cenário é outro quando se analisa de forma isolada as acusações de Moro — tido como antagonista do Congresso, por conta de suas investigações quando juiz da Lava Jato. “Aí nosso compromisso é total com Bolsonaro”, disse o presidente desta sigla.

De olho no apoio para eventual sobrevivência política de Bolsonaro, o governo negociou a entrega de cargos com o Centrão, cedendo postos como o FNDE, fundo bilionário de educação que é alvo de cobiça de políticos.

Tanto no Executivo como no Legislativo, a avaliação, hoje, é de que os inquéritos que correm no STF ainda não têm força para um processo de impedimento no Congresso. Mas se preparam para cenário adversos pois admitem que quem ditará o ambiente político nos próximos meses será a crise econômica pós-pandemia e o cenário de vítimas da crise sanitária.

Ex-juiz Nicolau dos Santos Neto morre com suspeita de Covid-19

VEJA

O ex juiz Nicolau dos Santos Neto, morreu na madrugada deste domingo, 31, aos 91 anos, com suspeita de coronavírus. A informação foi confirmada a VEJA pelo advogado de Nicolau, Celmo Márcio de Assis Pereira, que disse que há alguns dias seu cliente foi hospitalizado e internado com quadro de pneumonia.

O ex-juiz ficou conhecido em 1999 pela condenação em três processos relacionados a desvios de 170 milhões de reais (mais de 1 bilhão de reais em valores corrigidos) das obras do Fórum Trabalhista de São Paulo na Barra Funda, da qual foi presidente de 1990 a 1992. Ele ainda dirigiu a comissão de obras da corte de 1992 a 1998.

Na época, quando ganhou o apelido de “Lalau”, o Ministério Público Federal, alertado por denúncias de um ex-genro de Nicolau, constatou que seu patrimônio, que incluía uma casa de luxo no Guarujá, um apartamento em Miami e 4 milhões de dólares em contas na Suíça era incompatível com os rendimentos do magistrado. Todos esses bens foram confiscados pela Justiça, em denúncia que envolvia o senador Luiz Estevão, também condenado criminalmente no mesmo processo.

Nicolau foi preso em caráter preventivo em 2000 e em 2006 foi condenado a 26 anos de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF3) sob acusação de lavagem de dinheiro, corrupção e fraude no processo de concorrência do fórum. Em 2007, alegando depressão, foi transferido para o regime domiciliar, mas ainda passou pela prisão de Tremembé, em São Paulo, entre 2013 e 2014. O ex-juiz morreu batalhando na Justiça para voltar a receber a sua aposentadoria, cassada em dezembro de 2013.

Datafolha: 29% têm vergonha de ser brasileiro

Pesquisa do Instituto Datafolha publicada no site do jornal “Folha de S.Paulo” no final da noite deste domingo (31) mostra que a maioria dos entrevistados tem “mais orgulho do que vergonha” (67%) de ser brasileiro. De acordo com a mesma pergunta, 29% sentem “mais vergonha do que orgulho”. 3% não sabem ou deram outras respostas.

Tem mais orgulho do que vergonha ou mais vergonha do que orgulho de ser brasileiro?
Mais orgulho do que vergonha: 67%
Mais vergonha do que orgulho: 29%
Não sabe/Outras respostas: 3%

O levantamento divulgado neste domingo (31) ouviu 2.069 pessoas nos dias 25 e 26 de maio. As entrevistas foram feitas por telefone. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais.