27/06/16

PASTOR CLEMENTINO DECLARA APOIO AO PRÉ CANDIDATO DR. JACOVÓS;

Em recente reunião realizada na sexta feira, 24/06, o líder evangélico Pastor Clementino, declarou apoio ao Dr. Jacovós nas eleições municipais de 2016. Na ocasião o líder evangélico Pastor Clementino, reuniu dezenas de pastores e líderes evangélicos, para informar que "após ouvir e conversar com diversos  pré candidatos a prefeito de Sarandi, tinha encontrado no programa de governo do pré-candidato Dr. Jacovós, o projeto mais viável para as populações mais humildes e pobres de
Sarandi.
 Pastor Clementino citou o projeto das ESCOLAS EM TEMPO INTEGRAL, onde as crianças entrarão na Escola as 07.30 horas e sairão as 16.30 horas, como um projeto de grande evolução no setor de educação de Sarandi, que vai propiciar que crianças sejam retiradas das ruas e suas mães possam trabalhar e ajudar na renda familiar;
Usando da palavra, o pré-candidato JACOVÓS, disse que sentia se honrado com a declaração de apoio, vinda de um líder com a capacidade, honestidade e liderança como do pastor Clementino; disse que pretendia numa futura administração, dar continuidade no trabalho do prefeito De Paula, de levar infra estrutura aos bairros mais carentes e pobres de Sarandi, como o programa de desfavelamento que construiu os bairros Mauá e Richa; o asfalto que beneficiou vários bairros de Sarandi nos últimos anos, bem como programas na área de Segurança e Educação.

Advogado de Gleisi se entrega a PF em SP

O advogado paranaense Guilherme Gonçalves, último procurado da Operação Custo Brasil, se entregou ontem à Polícia Federal em São Paulo. Apontado pelas investigações como repassador de propinas do esquema envolvendo a empresa de informática Consist ao ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, Gonçalves chegou ontem de Lisboa no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.  A pedido da PF, o advogado estava sob monitoramento da polícia portuguesa desde quinta-feira, dia da operação. As informações são da Agência Estado.

Gonçalves foi submetido a exames no Instituto Médico-Legal e, depois, levado à custódia da Superintendência Regional da PF, na zona oeste, onde estão outros alvos da Custo Brasil, entre eles Paulo Bernardo, preso na quinta-feira. 

O advogado disse que estava na Europa "a passeio". Ele teve a prisão decretada pelo juiz Paulo Bueno de Azevedo, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo. Ao saber, em Lisboa, que era alvo da operação, Gonçalves anunciou, por meio de sua defesa, que se apresentaria. 

Em agosto de 2015, o advogado, com escritório em Curitiba, foi alvo de buscas durante etapa da Lava Jato. PF e Procuradoria da República suspeitam que o escritório era usado para repasse de propina a Bernardo e custeava despesas eleitorais da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), mulher do ex-ministro. 

Os recursos teriam saído do "esquema Consist", empresa que fechou acordo em 2010 com entidades contratadas pelo Ministério do Planejamento, na gestão Paulo Bernardo, para gerenciar empréstimos consignados. A investigação aponta desvio de R$ 100 milhões. 

Gonçalves já negou ter ligação com a fraude dos consignados. Ele deve ser ouvido amanhã em audiência na Justiça Federal em São Paulo.

26/06/16

Juízes apoiam mandado de busca na casa de Gleisi

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) divulgou nota pública em apoio ao juiz federal Paulo Bueno de Azevedo, responsável pela autorização judicial que permitiu à Polícia Federal realizar diligência de busca e apreensão no apartamento em Brasília do ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo. Segundo a nota, “o fato de o ex-ministro e investigado na representação criminal conduzida pelo magistrado ser casado com uma senadora da República, Gleisi Hoffmman, não estende a ele o privilégio de foro de que goza a senadora, nem lhe garante qualquer espécie de imunidade”. As informações são do Diário do Poder.

 

“A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) vem a público manifestar incondicional apoio à decisão do juiz federal Paulo Bueno de Azevedo, que determinou a realização de diligência de busca e apreensão na casa do ex-Ministro do Planejamento Paulo Bernardo.

 

O fato de o ex-ministro e investigado na representação criminal conduzida pelo magistrado ser casado com uma senadora da República, Gleisi Hoffmman, não estende a ele o privilégio de foro de que goza a senadora, nem lhe garante qualquer espécie de imunidade.

 

O juiz expressamente consignou em sua decisão que a senadora não era investigada no processo e, portanto, não era “sujeito passivo da medida de busca e apreensão” e determinou que “tudo o que for de propriedade ou posse da senadora deve ser excluído”, inclusive indeferiu pedido do Ministério Público Federal para que fosse lavrado um auto de constatação dos bens, objetos e documentos da Senadora.

 

Verifica-se, portanto, que houve absoluto respeito por parte do magistrado à garantia de prerrogativa de foro da senadora.

 

Por tal razão, a Ajufe repudia qualquer tentativa de ameaça à independência funcional por meio de representação administrativa contra decisão jurisdicional.

 

A Ajufe reforça ainda o entendimento já manifestado em outras oportunidades pelo fim do foro privilegiado como recurso para garantia da impunidade e pela defesa intransigível da independência funcional dos magistrados”.

 

Marido modelo

Gleisi jura que o único erro de Paulo Bernardo foi discordar do impeachment de Dilma

Augusto Nunes, Veja

“Quem nos conhece sabe que não fizemos fortuna, não temos conta no exterior, levamos uma vida confortável, porém modesta. O patrimônio que temos, parte financiado, foi comprado com nossos salários. Não me cabe outra explicação que não o desvio de foco da opinião pública deste governo claramente envolvido em desvios, em ataques aos direitos conquistados pela população. Garantir o impeachment é tudo o que mais lhes interessa neste momento”. (Gleisi Hoffmann, senadora do PT do Paraná, em sua página do Facebook, garantindo que seu marido Paulo Bernardo é uma ilha de honradez cercada por todos os lados pelos delinquentes investigados pela Operação Custo Brasil)

23/06/16

Prefeitura entrega viaturas para a Guarda Municipal

A Prefeitura Municipal de Sarandi faz amanhã, 24 de junho, as 9h30m em frente do Paço Municipal, a entrega das três viaturas para a Guarda Municipal que vão reforçar o patrulhamento na cidade. As viaturas são duas L200 e uma Pajero.

 

22/06/16

Desenvolvimento tem vagas para cursos bobcat e empilhadeira

   A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico tem vagas para os cursos de Operação de Empilhadeira  e Operação de Minicarregadeira Bobcat, são 60 vagas  para cada curso. Para fazer o curso é necessário ter 18 anos completos, ensino fundamental incompleto, preferencialmente possuir CNH na categoria B. O curso é realizado no Centro Automotivo do SENAI, (no antigo IBC, próximo a Rodoviária em Maringá).

A prefeitura adquiriu 108 vagas que já foram preenchidas e agora mais 60 vagas, 3 turmas já concluíram o curso e devem receber os certificados na semana que vem, na secretaria de desenvolvimento.

Os interessados devem procurar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico na Avenida Antonio Volpato nº 1488, fone 3126-1100

21/06/16

Garota de 15 anos toma remédio proibido e tem aborto de trigêmeos em colégio de Apucarana

A Polícia Civil investiga o caso de uma adolescente de 15 anos que teve um aborto em um colégio estadual de Apucarana. Na última sexta-feira (17), grávida de trigêmeos, a garota passou mal durante a aula supostamente após tomar medicamentos ilegais. Do banheiro da escola, ela gritou por ajuda e o Samu foi acionado para prestar socorro, encaminhando a estudante para o Hospital da Providência, com intenso sangramento. No local, os médicos constataram que um aborto havia sido provocado. A adolescente estava na nona semana de gestação. Um dos fetos caiu no vaso sanitário do colégio, outro foi retirado já no hospital e um terceiro teria caído no ralo de um banheiro enquanto a menina tomava banho na unidade de saúde. A estudante terá que prestar esclarecimentos à Polícia Civil, que tenta identificar especialmente onde ela teria adquirido os remédios indutores de aborto. Ela recebeu alta médica e deixou o hospital. A investigação A Polícia Civil apurou que a família da adolescente não sabia da gravidez. O delegado da 17ª Subdivisão Policial de Apucarana, José Aparecido Jacovós, destacou que quem forneceu o medicamento pode responder por tentativa de homicídio. “São medicamentos que não se consegue no Brasil, são importados de forma clandestina do Paraguai”, afirmou. Como a garota provocou o aborto, prática proibida no Brasil a não ser em casos de violência e outras situações específicas, vai responder criminalmente.

As obras do Jardim Bom Pastor foram retomadas  

A Construtora Pa Ingá começou hoje 21 de junho a fazer a terraplanagem na fase 2 do Jardim Bom Pastor, e amanhã vão colocar a capa asfaltica para terminar a fase 1.

O empresário Edson Franzoi se comprometeu com o prefeito Carlos de Paula a retomar as obras de pavimentação do Jardim Bom Pastor  nesta segunda-feira.

 

20/06/16

Delação de Sérgio Machado torna Requião alvo de chacota no Paraná


A delação do ex-diretor presidente da Transpetro, Sérgio Machado, revelando que Roberto Requião, bolivariano e suposto cultor da Carta de Puebla (opção preferencial pelos pobres) havia recebido R$ 2,4 milhões da JBS Friboi, transformaram o senador em alvo de chacotas e dezenas de ‘memes’ no Paraná. As informações são de Cesar Weis.

Requião, que responde a processo e Inquérito Policial Militar, por ter mantido 80 cavalos as expensas do erário, ao custo de R$ 8 milhões anuais, para passear com amigos, com era governador do Paraná, teria, segundo Machado, outro vínculo com a pecuária. Agora a de corte e com uma empresa que, supostamente, teria ligações com familiares de Lula, seu amigo de fé, irmão camarada.

A declaração dos doadores de campanha de Requião ao TSE mostra que o senador recebeu R$ 2,4 milhões do grupo empresarial JBS, que é controladora do frigorífico Friboi entre outras marcas. Desse valor, R$ 500 mil foram destinados à campanha de Requião ao governo do Paraná pelo Diretório Nacional do PMDB. Outro R$ 1,5 milhão foi doado pela JBS diretamente ao senador.

Roberto Requião aparece na delação de Sérgio Machado como um dos senadores que teria sido beneficiado por um suposto acordo entre PT e PMDB para a intermediação de doações de campanha da empresa JBS para a bancada peemedebista no Senado. Machado contou aos procuradores que encontrou o diretor da JBS, Francisco Assis e Silva em uma das reuniões que aconteciam na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros. Na ocasião, o diretor teria afirmado que estava “ajudando em diversas campanhas políticas”

Juíza anula mais um acordo de delação premiada do auditor fiscal da Receita  

iminal de Londrina, Zilda Romero, anulou mais um acordo de delação premiada do auditor fiscal Luiz Antônio Souza em torno das denúncias de favorecimento à prostituição de adolescentes e estupro de vulnerável. A medida é semelhante à adotada pelo juiz da 3ª vara criminal, Juliano Nanuncio, que anulou o acordo de delação premiada de Souza nas ações penais da Operação Publicano. Com as informações são de Fábio Silveira no blog Baixo Clero.

Com a medida, as informações prestadas por Souza nas investigações seguem válidas. O que ele perdeu são os benefícios que teria pela colaboração, como a redução de pena e a possibilidade de progressão de regime já a partir do fim de junho – ele deixaria o regime fechado e passaria para a prisão domiciliar. Souza é réu em 11 processos que discutem denúncias de favorecimento à prostituição de adolescentes e estupro de vulnerável.